Skip to main content

Campanha «A minha Liberdade é de todos» transforma o lápis azul num veículo de liberdade

A Campanha «A minha Liberdade é de todos», um projeto da Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril em parceria com a plataforma independente de jornalismo, cultura e educação Gerador, permite, a partir de hoje, transformar o lápis azul usado pela censura num símbolo da liberdade de expressão. O resultado integrará um mural digital que será tornado público em abril.

A iniciativa vai ser dinamizada em mais de 200 escolas do 2.º Ciclo ao Ensino Secundário por todo o país durante o mês de março, e tem participação aberta a todos, através do site https://gerador.eu/aminhaliberdadeedetodos-50anos25abril, onde o desenho pode ser realizado por computador, tablet ou telemóvel. É ainda possível aderir à Campanha através das redes sociais, seguindo as indicações descritas no site e usando o hashtag #aminhaliberdadeedetodos.

“Este projeto pretende contribuir para um maior conhecimento sobre a ditadura em Portugal, nomeadamente sobre a censura e os seus impactos, chamando a atenção para uma das mais relevantes conquistas de Abril: a liberdade. Esperamos também que a Campanha desperte a curiosidade dos mais jovens sobre esse período da nossa história recente e os motive a convidar outras gerações a participarem na iniciativa. O trabalho pela preservação da memória e pela construção dos próximos 50 anos de democracia precisa de todos”, afirma Maria Inácia Rezola, Comissária Executiva.

Uma edição especial do lápis azul

Para este projeto foi produzida uma edição especial do histórico modelo de lápis da Viarco “Olímpico 291”, azul, com o qual, durante a ditadura do Estado Novo, os censores assinalavam os conteúdos – palavras, frases, trechos, textos ou obras completas – cuja publicação seria proibida. O lápis azul, um símbolo da opressão, é neste projeto transformado num símbolo de liberdade.

Os mais jovens serão convidados a utilizar esta edição especial do lápis azul para transpor para o papel, num quadrado do tamanho de um azulejo tradicional português, a sua interpretação da liberdade.

As várias contribuições irão compor o Mural da Liberdade, um mural digital colaborativo que será revelado em abril no site do projeto.

Esta iniciativa tem como parceiros o Plano Nacional das Artes, a Viarco e a Associação Cultural Ephemera.

 


 

Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril até 2026   

As Comemorações dos 50 anos do 25 de Abril tiveram início em março de 2022 e vão decorrer até 2026. Cada ano vai focar-se num tema prioritário, tendo como objetivo reforçar a memória e enfatizar a relevância atual destes acontecimentos na construção e afirmação da democracia.

O período inicial das Comemorações tem sido dedicado aos movimentos sociais e políticos que criaram as condições para o golpe militar. A partir de 2024, os três ‘D’ do Programa do Movimento das Forças Armadas (MFA) começam a ser revisitados, em iniciativas que evocam o processo de descolonização, a democratização e o desenvolvimento.

02/05/2024

Durante o mês de maio, o Programa «Arte pela Democracia» — promovido pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril em parceria com a Direção-Geral das Artes (DGARTES) — propõe espetáculos, performances, ateliês para crianças, conversas, sessões de cinema e exposições por todo o país. Consulte a Agenda 25.04 e tome nota de tudo o […]

28/03/2024

Durante o mês de abril, o Programa «Arte pela Democracia» — promovido pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril em parceria com a Direção-Geral das Artes (DGARTES) — propõe música, teatro, cinema, exposições, conferências, lançamentos de livros e performances de norte a sul do país. Consulte a Agenda 25.04 e tome nota de tudo […]

27/02/2024

Durante o mês de março, o Programa «Arte pela Democracia» — promovido pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril em parceria com a Direção-Geral das Artes (DGARTES) — leva pelo país espetáculos, sessões de cinema, podcasts, conversas, uma exposição e uma performance, de Famalicão a Setúbal. Os eventos podem ser consultados na Agenda 25.04. […]

08/02/2024

Concurso «Arte pela Democracia» 2024 com candidaturas abertas até 20 de março   Estão abertas até 20 de março as candidaturas ao programa de apoio «Arte pela Democracia», promovido pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril e pela Direção-Geral das Artes (DGARTES) para fomentar projetos que contribuam para a reflexão sobre a relevância deste […]

31/01/2024

  O livro «25 de Abril de 1974, Quinta-feira», com fotografias de Alfredo Cunha, é composto por três partes, e reúne registos sobre a Guerra Colonial — com texto de Carlos Matos Gomes, militar de Abril; o Dia 25 de Abril — com texto de Adelino Gomes, repórter que acompanhou os acontecimentos daquele dia; e […]

24/01/2024

O livro «25 de Abril de 1974, Quinta-feira», com fotografias de Alfredo Cunha, será lançado no dia 31 de janeiro, às 18h00, na sede da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), em Lisboa. O evento, de entrada livre, conta, nomeadamente, com a presença do fotógrafo e dos autores dos textos, Carlos Matos Gomes, […]

24/01/2024

O concurso «Arte pela Democracia», promovido pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril e pela Direção-Geral das Artes (DGARTES), terá uma nova edição em 2024, com um montante financeiro disponível de um milhão de euros. Apoiará projetos de artes visuais, artes performativas, artes de rua e cruzamento disciplinar, abrangendo os domínios da criação, programação, […]

24/09/2023

A declaração unilateral de independência da Guiné-Bissau, que Amílcar Cabral preparara e os seus sucessores concretizaram, foi uma manobra ousada que culminou um longo trabalho político-diplomático. ARTIGO COMPLETO >

23/09/2023

Conferência de imprensa de Amílcar Cabral, em Cuba, a 30 de Julho de 1970. Fonte: Fundação Mário Soares e Maria Barroso No dia 28 de outubro de 1971, em Londres, dois jovens portugueses entrevistaram Amílcar Cabral, fundador e líder do Partido Africano para a Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde (PAIGC). Pouco mais de um […]

08/08/2023

A DGARTES comunicou hoje os resultados finais da primeira edição do concurso Arte pela Democracia, um Apoio em Parceria que resulta do acordo celebrado com a Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril. Foto: Cláudia Teixeira | Comissão Comemorativa 50 Anos 25 de Abril Reconhecendo que a criação artística pode contribuir para processos de reflexão sobre […]

17/07/2023

O concurso «Arte pela Democracia», promovido pela Comissão Comemorativa 50 anos 25 de Abril em parceria com a Direção-Geral das Artes (DGARTES), selecionou 45 projetos para receberem um apoio global de 1 milhão de euros. Estas iniciativas, que terão lugar por todo o país, vão integrar as Comemorações dos 50 anos da Revolução e contribuir […]

19/06/2023

Na Mesa-redonda “A luta continua! Que Luta? A luta anticolonial em África como inspiração para a luta contra o racismo na Europa. Da geração de Cabral, à geração dos netos de Cabral”, Igor Lima, filho de Indira Cabral e neto de Amílcar, afirmou que se revê na ideia, defendida pelo avô, de que “o racismo […]

28/05/2023

Vincenzo Russo | 28 de maio de 2023 A relação entre as esquerdas italianas e o PAIGC tomou várias formas e conheceu vários protagonistas. Porém, o acontecimento mais relevante da relação italiana teria lugar no dia 1 de julho de 1970… A relação entre as esquerdas italianas e o PAIGC tomou várias formas e conheceu […]

21/05/2023

Branwen Gruffydd Jones | 21 de maio de 2023 Em vez de olhar para a cultura em termos de raça, Cabral fomentou uma interpretação radical da cultura enquanto expressão do povo, enraizada nas relações sociais, que tornou possível a luta política. Amílcar Cabral é um dos mais conhecidos pensadores e atores políticos do anticolonialismo africano, […]

17/05/2023

A Conversa “A luta de libertação na Guiné: memórias cruzadas” juntou o médico Mário Moutinho de Pádua e o antigo secretário-geral do Partido Comunista Português (PCP) Jerónimo de Sousa no Palácio Baldaya, em Benfica. No âmbito da programação de “Amílcar Cabral, uma Exposição”, os presentes recordaram a forma como viveram a Guerra Colonial. Em 1961, […]

14/05/2023

Catarina Laranjeiro | 14 de maio de 2023 A China e a URSS apoiaram de várias formas os movimentos anticoloniais africanos. Mas em alguns casos, como o da Guiné-Bissau, a solidariedade demonstrada por Cuba foi tão ou mais marcante. “N’ obi tiru, pa n’ bai buska bala di kubanu” significa “Eu ouvi tiros, para ir […]

#50anos25abril